• Juliana

Horário das refeições e perda de peso na cirurgia bariátrica

Nós sabemos que fatores clínicos, genéticos, hormonais e nutricionais estão relacionados na perda e manutenção de peso.


Alguns pesquisadores vêm estudando a relação entre o ciclo circadiano (mecanismo pelo qual nosso organismo se regula entre o dia e a noite) e o peso corporal.


Um estudo observacional realizado com indivíduos que realizaram cirurgia bariátrica avaliou a relação entre o horário das refeições e a eficácia da perda de peso.


Participaram do estudo, 270 participantes (263 realizaram bypass e 67 sleeve gástrico). Os dados foram coletados antes da cirurgia e a cada 12 meses em um seguimento de 6 anos.

A ingestão alimentar foi analisada por meio de registros alimentares de 4 dias. Nestes registros os horários das refeições também eram sinalizados.

A taxa metabólica basal foi estimada através da equação de Harris e Benedict.

Os participantes preencheram questionários, relacionados aos seus hábitos diários e foram classificados como diurnos, noturnos ou neutros; questionário referente a quantidade de horas dormidas/noite e questionário sobre a prática de atividade física.


Foram divididos em 3 grupos de acordo com a perda de peso:

1) ótima perda de peso: acima de 50% de perda de excesso de peso durante todo o seguimento;

2) perda de peso insuficiente: menos de 50% de perda do excesso de peso durante todo o seguimento.

3) participantes que apresentaram 50% de perda de peso no início e menos de 50% no final do seguimento.


Não houve diferença entre os parâmetros hormonais, duração do sono, ingestão calórica e de nível de atividade física entre os participantes. Além disso, a idade, sexo e

tipo de cirurgia também não exerceram influência sobre os resultados.


Quando observado o horário das refeições, o grupo que perdeu menos de 50% do excesso de peso em todo seguimento, foi o que realizava o almoço mais tarde (após às 15h).


Os autores sugerem que o hábito de realizar as refeições em horários mais tarde do que o habitual, pode alterar alguns mecanismos fisiológicos, como diminuição do gasto energético em repouso, oxidação dos carboidratos em jejum e tolerância à glicose.


Apesar de algumas limitações, estes resultados corroboram com os resultados de outros estudos (em indivíduos em tratamento clínico), e reforçam a a influência do horário das refeições e perda de peso corporal.


Referência: Ruiz-Lozano T, et al., Timing of food intake is associated with weight loss evolution in severe obese patients after bariatric surgery, Clinical Nutrition (2016), http://dx.doi.org/10.1016/j.clnu.2016.02.007.